O Canto do Oceano {1}

O Canto do Oceano.jpg

Do Firmamento ao Oceano

Jamaica, Port Royal, 1668

O patíbulo estava armado e os laços da forca iam de um lado ao outro em um balanço débil, causado pela brisa primaveril. A população se aglomerava ao redor à espera dos prisioneiros; quase todos acusados de pirataria. Enfileirados, presos pelos grilhões, eles caminhavam em direção à morte certa. Era difícil definir todos os sentimentos que passavam pelos rostos das pessoas que observavam; semblantes de raiva e contentamento, outros de nojo, e apenas alguns de pena. Continuar lendo “O Canto do Oceano {1}”

A Lua do Caçador {Parte 3}

Banner_HerançadosBardos

 

         O quarto já não parecia tão sombrio quando Una retornou. A luz matutina o aquecia e espantava as sombras para longe da cama, onde um Theodore menos pálido verificava seu relógio astronômico de bolso; um presente do alquimista responsável por alavancar a companhia de seu pai. Ele ergueu o olhar ao ouvi-la se aproximar, aprumando-se sob as colchas grossas.

         — Sinto que tem estado muito preocupado com os planetas nos últimos dias.

         — Não é bem com os planetas que me preocupo. — Apesar de transparecer sua curiosidade, Una precisou se contentar com o silêncio como resposta. Continuar lendo “A Lua do Caçador {Parte 3}”

A Lua do Caçador {parte 2}

Banner_HerançadosBardos.png

         Lucinda abriu as cortinas um pouco mais tarde naquela manhã. A luz iluminou a bacia de ferro, refletindo nos olhos castanhos de Una. Ela virou o rosto por instinto e suspirou, exausta, após descansar apenas duas horas em uma bergère desconfortável. O pano úmido sobre o criado-mudo pingava uma água avermelhada próxima aos seus pés descalços, ainda sujos de areia. Sua pele cheirava a suor e fumaça da arena; um lembrete de sua péssima luta. Continuar lendo “A Lua do Caçador {parte 2}”

Lista Amassada

lista-amassada

Por Alex Brehan

Quando checou o relógio, viu que era meia-noite. Lana inspirou profundamente enquanto batucava o lápis em uma folha de papel com algo escrito. Deitada na cama de um hospital, com um monitor cardíaco bipando, ela ponderava sobre quantos dias ainda veria acabar. Seu corpo estava esquelético, uma mancha escura se estendia por toda a região da boca e o cabelo preto tinha um corte ajustado para esconder a constante queda de fios abaixo da nuca. Tudo contribuindo para um semblante cansado e aparentemente mais velho do que seus 37 anos. 

Continuar lendo “Lista Amassada”