A Queda do Guardião

Por LB OLIVEIRA

fallen-warrior-298484

 

Traidor.

O fôlego que não consigo tomar me destroe.

Há um vazio nos meus pulmões e na minha garganta. Como se minha respiração não chegasse aos meus pulmões. Minha boca ainda está aberta, garganta oca, incapaz de puxar o ar. Meu peito, essa sensação horrível no meu tórax.

Meus membros e músculos se recusam a se mover. Não possuo olhos. Eu estou sufocado. A pressão aumenta, Minha quietude invade meu peito e meus membros. Quero gritar, rasgar meu rosto, lamentar — mas estou preso. Não consigo me mexer. Não consigo me mexer.

Continuar lendo “A Queda do Guardião”

O forjador de montanhas

Escrito por LB OLIVEIRA


Onde os ventos cantam e o fogo dança
Aonde os lamentos de tempos passados, se tornam esperança
Onde os humanos veem como uma fornalha em erupção, eu vejo o estardante da criação
Em suas danças solitárias o brandir do martelo sob a bigorna alegram suas histórias
Ouvem da montanha o eco da criação
Você pode ouvir os ecos?
Do bater do martelo?
De dentro das chamas?

Continuar lendo “O forjador de montanhas”

A maldição do corvo

Por LB Oliveira

Jericho e seu bando prepararam seus cavalos sob o sol do meio-dia. Ele apertou a fivela sua égua com tanta força que um relincho e um olhar de dor ela mostrou. Cada uma delas carregava consigo uma bolsa que estava cheia de adagas ornamentadas, peles de gnolls-da-neve e carne de escorpião cinza. As mercadorias roubadas pesavam tanto na bolsa da égua que ele decidiu levá-la andando até o acampamento.

Continuar lendo “A maldição do corvo”

Contos da deusa esquecida: Prólogo

Escrito por L.B. Oliveira

Eu nunca vi a deusa esquecida. Minha avó me contava estas histórias, mas ela também nunca a viu, nem ela nem a avó dela, nem a avó da avó dela, nem mil gerações para trás. As lendas da deusa só persistem ao redor de canticos estalantes e da madeira na brasa. Quanto mais nós voltamos no tempo, mais verdadeiras se tornam essas histórias.”

Continuar lendo “Contos da deusa esquecida: Prólogo”