Rouxinol – O Pássaro da Gaiola de Ouro

Rouxinou e a Rosa

Conta uma antiga lenda chinesa que certo dia o Imperador, passeando pelos jardins do palácio, ouviu cantar um rouxinol. E era tão lindo o seu canto, que as cores pareciam tornar-se mais vivas e o mundo mais belo.

Encantado, determinou que o pássaro fosse capturado e levado ao palácio, para que pudesse ouvi-lo cantar em todas as horas do dia; e que os mais hábeis artesãos recebessem os metais mais preciosos e as gemas mais raras, para que pudessem construir a mais rica gaiola que já se viu neste mundo.

Continuar lendo “Rouxinol – O Pássaro da Gaiola de Ouro”

Iara – A Desafortunada

iara

Segundo a lenda, Iara era uma índia guerreira, a melhor da tribo, e recebia muitos elogios do seu pai que era pajé.
Os irmãos de Iara tinham muita inveja e resolveram matá-la à noite, enquanto dormia. Iara, que possuía um ouvido bastante aguçado, os escutou e os matou.
Com medo da reação de seu pai, Iara fugiu. Continuar lendo “Iara – A Desafortunada”

Guaraná – O Menino Bondoso

Guarana-1-e1480277150727Um casal de índios pertencente a tribo Maués, vivia junto por muitos anos sem ter filhos mas desejava muito ser pais. Um dia eles pediram a Tupã para dar a eles uma criança para completar aquela felicidade. Tupã, o rei dos deuses, sabendo que o casal era cheio de bondade, lhes atendeu o desejo trazendo a eles um lindo menino. Continuar lendo “Guaraná – O Menino Bondoso”

Vitória – Régia – A Donzela Apaixonada

vitoria-regia-planta-55Diz a lenda que a Lua era um deus que namorava as mais lindas jovens índias e sempre que se escondia, escolhia e levava algumas moças consigo. Em uma aldeia indígena, havia uma linda jovem, a guerreira Naiá, que sonhava com a Lua e mal podia esperar o dia em que o deus iria chamá-la.

Os índios mais experientes alertavam Naiá dizendo que quando a Lua levava uma moça, essa jovem deixava a forma humana e virava uma estrela no céu. No entanto a jovem não se importava, já que era apaixonada por Jaci, a Lua. Continuar lendo “Vitória – Régia – A Donzela Apaixonada”

BR 153

camaro1

Por João Lessa 

A imensidão da noite ainda podia ser sentida a 220km/h. O maverick 1975, mesmo engolindo a estrada a sua frente como um raio riscando o céu, não era capaz de aplacar a dor que Inácio sentia. A dura traição de Paula o tinha abalado de um jeito que ele nunca imaginou. Mas ele focava a estrada, debruçado sobre o volante, acelerando e pedindo tudo que o carro tinha pra dar e o Ford não desapontava. Continuar lendo “BR 153”