O Cântico de Mythos – +18

 

espinhoss.png

 O mestre vem e ele sorri

O fogo fátuo, que irá a tudo consumir.

 

O mestre diante dele sorri,

Com seu manto amarelo puído.

 

Sua coroa soldada a carne e ossos,

E face do medo se revelará.

 

O mestre vem e ele sorri

O Rei sorrirá para um mero mortal.

 

O Rei de além.

O Rei de Carcosa.

O meu Rei .

 

Real e servil ele se dobra ao seu criador vil

O que mal que há de vir

O mal que os irá consumir

Dor, horror, temor, tremor.

 

O rei não tem trono, mas o grande mestre uma coroa lhe deu

No abismo do entremundos ele aguarda o chamado do rei

E na hora vindoura o rei se dobrará.

 

Não um rei mortal.

O meu rei.

O rei de Carcosa.

 

O nosso mestre a esse mundo virá

E essa será a hora dele se curvar

A hora da coroa de sua carne e ossos entregar.

 

O trabalho findado estará

Das profundezas o grande horror emergirá

 

O meu rei a coroa entrega

E nosso criador o primeiro Rei

por mais um longo banquete reina…

 

 

– O Tomo Perdido de Hastur – Os Cânticos de Lithurielle

                                                                                Cap XIII; I – XI

 

 

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s