Morgen… – Amor Próprio

morgen12

Por L. Orleander

“I thought my demons were almost defeated
But you took their side
And you pull them to freedom
I kept your secrets and I thought that
You would do the same…”¹

Um dia me disseram que meu problema era falta de amor próprio e que isso me fazia sentir a fraqueza das minhas palavras e a força que minha mente exprimia sobre mim, nos dias que tudo parecia pior, a ponto de ruir eu me sentia feito Atlas carregando o peso do mundo sobre minhas costas como uma espécie de castigo.

Vinham as noites insones, a falta de ar e a vontade de deixar o pranto correr constantemente, se eu iria para o Inferno pelas decisões que tomei e pelas tentativas mal fadadas, bom, aqui era uma pequena prévia do que eu teria que enfrentar…

Eu precisava de novos ares, de novos amores e quem sabe mesmo daquelas paixões avassaladoras e aventureiras de uma noite de Verão num festival qualquer ou num luau a beira mar.

Era triste entender que nada disso preenchia o vazio ou calava o monstro que viva dentro de mim, ele rugia e ganhava tamanho dentro das paredes e labirintos que em algum momento da minha vida eu construí.

Não! Eu nunca pedi ajuda, nunca quis conversar sobre e quando tudo estava no ápice eu achava a tentativa de “partir” a melhor forma de me livrar das dores, dos pesares e de todos os problemas, fosse o chefe problemático, com uma Segunda – Feira ruim, ou um coração partido por não poder deter pra sempre ao meu lado, o abraço que me juntava cada pedacinho que eu já perderá no meio do caminho, (Sim, eu encontrei essa pessoa um dia, e por mais inacreditável que pareça, eu sabia que não era esta vida e nem este momento.)

O que o amor próprio tem a ver com isso? Simples, de uma outra ótica ele é visto como egoísta, um suicida é um egoísta, visto dessa lógica, nos amamos acima de tudo e de todos,  mas sabe, se temos um amor desse tamanho, capaz de nos fazer cegos, a beira de sermos narcisistas, por que queremos tirar a própria vida? Arrancar o restante do brilho que em nossos olhos habita?

O que leva o mundo a ver a luz mais radiante, de fazer o nosso sorriso salvar um dia e de ver pessoas sinceras dizerem que nossa presença faz bem, que nossa presença acalma ou anima, se nem nós mesmos sentimos isso?

Amor próprio? Quem se ama de fato? Quem não comete atrocidades contra si próprio, ainda que esta não esteja voltada para ceifar a própria existência?

Você parou pra analisar o seu pequeno e fraco ego no meio da galaxia? Olhou pra si em algum ínfimo momento de seu dia corrido e se sentiu mal por ser você mesmo, ainda que sua auto confiança e que seus pensamentos de auto sabotagem desvaneçam rapidamente?

Estamos todos presos em nossas bolhas dia após dia sem entender, sem olhar pro lado sem pedir socorro…

Quantas pessoas, como eu pedem socorro sorrindo,  criando, correndo, compondo… Vivendo.

Quantos pedidos de sua ajuda você negou a sua alma hoje, seja por algo importante ou por algo pequeno sem grande relevância?

Assim como algumas destas perguntas não tem resposta e sua mente insiste em trabalhar, meu grito de alerta aqui, nestas poucas palavras não são apenas por mim, são por todos aqueles que ainda podem ter uma chance de lutar, por todos aqueles que ainda não conseguiram e não conseguem entender, mas acima de tudo, é por todos aqueles que ainda precisam ouvir: EU SOU IGUAL Á VOCÊ…

CONTINUA…

¹Jacob Lee – Demons
Achei que meus demônios estavam quase derrotados
Mas você ficou ao lado deles
E os puxou para a liberdade
Eu guardei seus segredos e pensei que
Você faria o mesmo

 

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s