Torre de Pedra – Rainha Morta, Rainha Posta…

torre1

Por L. Orleander

Aquilo pareceu durar uma eternidade, e nem mesmo a poeira que dançava no ar parecia se mover.

– Minha senhora… – eu respirei fundo, fechando os olhos e procurando em minha mente palavras que me fizessem  fugir daquela situação.

Minha alma quedava – se em êxtase, mas minha mente me mandava fugir daquilo antes que eu fizesse algo do qual me arrependeria.

Coloquei minha mão sobre a dela e a fiz abaixa – lá sem nenhum movimento brusco, a mão de Mikaela tremia presa entre a minha.

– Me desculpe, Lucyus. – disse ela recompondo – se e olhando fixamente para a cicatriz em meu peito. – Meu pai irá vê – lo ainda hoje. Solicitei sua presença em minha guarda pessoal, não vou “herdar” babás de meu rei e nem de minha mãe, escolherei os meus.

Mikaela virou – me as costas e por um instante o perfume dela ficou no ar, a capa passou pela porta rápida e faceira feito o vulto de uma raposa fugindo de um galinheiro.

Na mesma tarde Lord Falcon me designou a posição de Eurador, mas ao lado de sua filha.

Eurador apenas balançou a cabeça em sinal positivo enquanto Falcon proclamava em alto e bom som para o escrivão que agora sua filha escolheria a própria corte. No dia seguinte aquilo era visto como um escândalo, na semana seguinte era uma heresia aos olhos das condessas e duquesas.

No aniversário de Mikaela veio a noticia que fez a corte ficar estarrecida.

Mikaela se tornaria a monarca mais jovem a subir ao trono, e com isso Lord Falcon designou mestres e lordes para a educarem e ensinarem sobre as leis e contratos  que deveriam  ser ensinados á um príncipe…

A noticia não foi bem recebida na Torre de Pedra e Lady Amelie tentou demover Edgar e Lord Welton de fazer aliança por meio do casamento.

Welton adorava Mikaela, principalmente o pulso firme e Edgar, era encantado por ela desde o momento em que a viu. E disso não posso culpa – lo, quando ela estava perto, era como ter um deus  te tocando, mas isso fica para um momento mais oportuno.

Como disse, Mikaela fez aniversário e finalmente as 18 primaveras chegaram, Edgar não mais reconhecia na noiva uma garota e ninguém no reino diria isso, a não ser que quisesse arrumar uma briga.

Ela tornara – se uma mulher de fibra e aço, justa e honesta. Negociava com mercadores, julgava mal feitores, e defendia seu posto de melhor espadachim de Haledor, tornara – se a rainha sem coroa e Lord Falcon tinha orgulho da mulher que criará.

O reino esperava pela festa e os visitantes vinham de longe para ver o desabrochar da donzela com mãos de aço, além de Edgar, outros vieram para conhecer sua beleza, mesmo sabendo – se que ela era prometida a Torre de Pedra.

Lady Amelie, sentou – se ao lado de Lady Margrethy com olhar de desprezo e a tensão fez – se notória, mas Lord Falcon e Welton bebiam e gargalhavam diante de tudo, numa competição tola de histórias engraçadas nos campos de batalha que visitaram durante a vida.

Ela decidiu vir sozinha esta noite, eu aguardava nervoso no salão próximo as portas, quando, o que pareceu ser um bobo da corte, adentrou o recinto dando cambalhotas e parou diante dos dois reis batendo palmas.

Mi Lordes e My Ladies, é com orgulho que anuncio, a senhora desta noite: Princesa Mikaela! – e saiu da frente da mesa fazendo uma reverência.

A liteira despontou na porta e o olhar altaneiro e frio olhou a todos parando em Lady Amelie, ela sorriu e acenou com a cabeça, Edgar descerá e aguardava a princesa como um cão leal, eu passei a seguir o cortejo.

Ela parou diante do rei e sorriu, não era apenas a festa de Mikaela, era sua coroação, mas ficamos sabendo apenas quando ela desceu da liteira, Edgar estendeu – lhe a mão para ajuda – lá, mas ela recusou me chamando a seguir, vi os olhos dele me olharem com fúria e desprezo, enquanto ela tomava minha mão e se virava para frente.

Lord Falcon ficou em pé e chamou sua esposa, para em seguida sorrindo um para o outro, e anunciar a coroação de sua filha:

Amigos! É com muito orgulho que apresento ao nosso reino, minha filha, a princesa Mikaela! – uma salva de palmas e brindes foram erguidos em sua homenagem. – Hoje ela completa suas 18 Primaveras, como presente, lhe darei minha coroa. Então, apresento a vós, a rainha de Haledor! Que seu reino seja justo, honesto e forte, minha filha! Um brinde!

Mãos se ergueram no ar, mas o silêncio de alguns se misturava ao burburinho de outros.

– Ultraje! – vociferou Amelie. – Ela não casou – se e é apenas uma garota. – todos a olhavam abismados, mesmo sendo rainha, Amelie estava em uma corte que não era sua, Edgar correu e pediu que a mãe se calasse , Lord Welton engasgou com o vinho e precisou ser socorrido.

– Minha senhora, tens algum problema comigo? Acredito que sua coroa lhe aperta a cabeça. – sibilou Mikaela, olhando feroz para a outra. – a caso não te recordas que fui prometida gentilmente a seu filho? Ou desejas uma guerra entre nossos reinos? Poderias ser acusada de traição, retrate – se, sou a senhora desta casa.

Amelie ruborizou violetamente e baixou – se sussurrando um pedido de desculpa banhado em fel e ódio.

– Amigos, – continuou ela.- Esqueçamos os contratempos, bebam, dancem, divirtam – se, está noite não é para preocupações é para comemorações e alegrias, prossigam.

Os homens retiram a liteira e para meu espanto, ainda sorrindo ela perguntou para Edgar se ele não a tiraria para dançar, e assim ele o fez, uma, duas, três… Danças ou mais.

Mikaela saiu dos salões assim que o Sol liberou seus primeiros raios sobre nós, foi então que ouvimos os gritos de mulher. Os de nós que restaram correram a ver o que acontecia pelos corredores até os aposentos de Lord Welton, Amelie encontrava – se enforcada, no dossel de sua cama, vestida ainda em roupas de dormir e com a pele fria.

Ainda virei – me a tempo de ver Mikaela rodar nos calcanhares sem se importar com o que vira e partir para seus aposentos sem remorsos.

– Ela mereceu. – disse ela me olhando.

A cicatriz em meu peito e gritei de dor, caindo desacordado ao solo, para mais tarde descobrir os pequenos veios negros saindo de minha cicatriz como uma linha fina.

– Começou… – escutei Lady Margrethy dizer com lágrimas nos olhos, então era esse o momento em que Mikaela se tornava o monstro poderoso que parecia idolatrar a morte?

Aquele ainda eram os olhos de Mikaela, a voz e o corpo, mas na frieza, havia algo errado, será que ela matará Amelie? Mas ela pssou a noite inteira com Edgar, eu e os dois reis durante a festa.

Então meu amigo, é agora que fica tudo sombrio, tenha paciência se chegou até aqui, é porque ainda quer saber o que aconteceu conosco…

CONTINUA…

 

 

 

 

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s