Morgen… – Vazio

morgen12

Por L. Orleander

You won’t find me in church (no) reading the bible (no)
I am still here and I’m still your disciple
I’m down on my knees, I’m beggin’ you, please
I’m broken, alone, and afraid
I’m not a saint, I’m more of a sinner
I don’t wanna lose, but I fear for the winners
When I try to explain, the words run away
That’s why I am stood here today…“¹

A vontade de desistir as vezes é tão grande que a única coisa que se tem pra fazer é sentar e chorar…

Chorar pelos que eu deixaria pra trás, por aqueles que ainda nem conheci e pelas pessoas que no fim, me ajudaram a chegar nessa encruzilhada desgraçada.

Não vem a ser um choro de tristeza, não… É apenas um grande vazio, um buraco negro na alma, que me torna perdida no meio do caos e da multidão.

Você já sonhou em ter algo? Alguém? Um motivo pra te fazer pensar nas opções para jamais se abandonar a própria sorte e deixar que joguem com sua vida, como fazem os cassinos e seus dados.

Pois é, assim como você eu já tive essa vontade e juro pelo Deus que você acreditar que eu tentei, que eu tento todos os dias, mas é como levar água a um tonel todos os dias e nunca vê – lo encher.

Não transbordo em sorrisos e quando isso ocorre eu nem sei se sou eu ou se é minha mente no automático, acostumada as milhares de fachadas que aprendi a moldar com o passar dos anos.

Acabamos nos perdendo de nós mesmos e nossa identidade se torna aquilo que a sociedade escolheu como rótulo pré – concebido: obeso, suicida, depressivo, anoréxico, pobre, egoísta, alcoólatra, mal amado…

É triste, mas é o que resta ser quando se quer sobreviver a tudo e a todos sem cobranças ou remédios suficientes pra colocar um elefante em estado de torpor indeterminado, uma plaquinha, um animal adestrado, conversas sobre a saúde do corpo perfeito e trabalhado nos músculos, silicones e vitaminas, mas na mente, tem um monstro, devorando coisas que há muito tempo são ruínas de uma infância e uma inocência destruída, uma adolescência problemática, chamada de rebeldia sem causa, alguém poderia ter ouvido minha voz, quando gritei a plenos pulmões? Quem sabe, aprendemos a ignorar o pedido de ajuda do próximo, o tempo é pouco demais para que olhemos para o lado…

Ainda não sei por que continuo te contando meus últimos passos. Talvez seja apenas a forma de me alto – afirmar e ter a certeza de que ainda, alguma coisa ou parte de mim, está viva.

Contar dos passeios de chuva que se tronaram pesarosos, do filme que já não me emociona, da música que perdeu a melodia e alma ali contida, dos sentimentos, que um á um, parecem secar.

Essa não é uma história de ficção ou fantasia que vai te fazer acreditar que vai haver um final feliz, de forma alguma.

Meus passos talvez sejam iguais aos seus, te mostrando como há outros vagando pelo mundo, com a cabeça cheia de ideias mirabolantes e fins teatrais.

Ou talvez essas palavras te alcance e você me leia e me sinta em cada palavra num terno adeus e isso te torne empático pelas coisas que você não entende numa mente como a minha, valorize os momentos felizes e os degraus que superou mesmo no meio do sofrimento e das coisas e barganhas que a vida lhe exigiu.

Torno a dizer que não preciso de um médico e nem de ninguém que me diga que estou doente, eu sei que estou e não gosto como a dor cresce feito erva daninha e toma poder do meu corpo, como se fosse um segundo “eu”  sussurrando que não posso ficar aqui, que não pertenço a este lugar.

A tristeza dura em média três dias, quantas pessoas tristes você percebeu ao seu lado e serviu de porto seguro para um barco á deriva?

A vida tem sido estranha e ao mesmo tempo, uma escola, mas eu…

Bom, eu cansei de aprender…

“Maybe I’ll pray
Pray
Maybe I’ll pray
I have never believed, and you know
But I’m gonna pray…”²

 

 

CONTINUA…

¹ – Sam Smith – Pray
Você não me verá na igreja nem lendo a Bíblia
Ainda estou aqui e ainda sou seu discípulo
Estou de joelhos, implorando, por favor
Estou magoado, sozinho e com medo
Não sou santo, sou mais como pecador
Não quero perder, mas temo pelos vencedores
Quando tento explicar, as palavras me escapam
Por isso estou aqui hoje…
² – Talvez eu reze
Reze
Talvez eu reze
Nunca acreditei e você sabe disso
Mas eu vou rezar

 

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s