Torre de Pedra – Nivanír

nivanir

Por L. Orleander

Amelie receberia Mikaela como quem recebesse uma filha de volta ao lar e desejava profundamente que aquela fosse a mulher certa para gerar herdeiros e fazer de Edgar um homem feliz. Ela precisava disso. O reino precisava disso, mas a ida da princesa foi um fracasso…

A chegada a Nivanír foi tranquila a olhos vistos, Mikaela assistia o castelo ganhar forma ao longe e a pedra negra sugar os raios de Sol para refleti – los de forma pálida.

– Bem vinda a Torre de Pedra! – disse Edgar efusivo. Mikaela apenas ficou calada e sentiu o aperto no peito. O vento sussurrava em seu ouvido uma tragédia, cada parte de seu corpo anunciava isso, era raro, mas quando ela sentia, acontecia…

Era – me estranho estar fora de casa e pela primeira vez sem meu rei ao lado, meu pai. Aquele lugar me causava medo e incontáveis calafrios.

A rainha me olhava como se eu fosse uma novilha gorda e premiada, pronta para o abate. Queria netos, que eu não lhe daria. Queria uma delicadeza teatral que nunca foi minha. Sorri forçada para muitos atributos que ela falava com floreios e á mim eram desnecessários. Nasci para o campos de batalha, para estar em meio ao meu povo e não para me esconder, me queimava a alma, saber que não era isso que esperavam de mim… Edgar parecia solicito o tempo todo e aquilo me causava mal estar, o cavalheirismo excessivo era – me um suplicio, era belo do ponto de vista das donzelas e cortesãs da corte, romântico, mas aquilo não me trazia qualquer encanto. Eu sentia falta de casa, das minhas armas, dos meus homens, da liberdade…

Eu não seria a donzela em perigo, que todos se preocupavam em salvar. Não!

Não era isso que ela me dizia quando em noites de Lua Cheia, já alta no céu, ela me visitava em sonhos.

Eu seria forte, por mim… Por nós… Por nosso povo, mamãe…”

Mikaela ficou quase um mês na presença do Rei Welton e da rainha Amelie, que em poucas semanas não fazia questão de esconder a antipatia pela futura nora e por muitas vezes enviava as damas de companhia apenas para vigiar a moça, tentou mantê – la presa nos primeiros dias entre bordados, chás e passeios pelos jardins, mas Mikaela era esperta e não demorou muito a encontrar o que lhe interessava.

Praticou dias a fio com os generais do rei que achavam uma heresia, uma mulher ser melhor com uma espada, do que seus soldados.

Mikaela exercia uma coisa estranha sobre os homens e não demorou muito para que Lord Welton também caísse de amores pela donzela de cabelos negros.

Mas as coisas acontecem de modo drástico e estranho. Sonhei com Lady Margrethy uma semana antes dela voltar, o suor escorria pela minha face e a marca queimava mais do que qualquer dor.

Acordei Eurador e pedi, implorei que ele me deixasse ir, ele cedeu e me mandou trazer Mikaela a salvo, eu o olhei com medo e em seus olhos pairava uma sombra, eu não havia lhe contado meu sonho.

Viajei sem dormir, parando apenas para alimentar meu cavalo e pegar suprimento no caminho. Meu coração apertava a cada passo mais próximo de Nivanír.

Ela teve a brilhante ideia de fugir em uma bela noite e é aí que as coisas se perdem.

Os soldados do castelo a temiam, mas havia aqueles que acreditavam que ela fosse apenas uma princesa mimada que queria impressionar Lord Welton, já que Edgar ela tinha nas mãos.

A bebida faz coisas, meus amigos, inclusive, homens perderem o bom senso.

Quatro soldados a seguiram, ela percebeu e se defendeu com força e garra, mas o grito ecoou na noite quando me aproximei e não tive duvidas, eles a haviam pegado.

Mikaela derrubou dois, e só, ela era apenas uma garota de 17 anos e havia conseguido uma façanha. Soldados com anos de pratica.

O rosto de minha musa estava manchado de sangue e suas vestes eram rasgadas por um, enquanto ela se debatia tentando se soltar do outro.

– Quer andar entre os homens, será para servir os homens, meretriz! – disse um deles sorrindo, ao que ela cuspiu – lhe na face.

– Eu vou te matar, desgraçado. – respondeu ela.

O sorriso dele de escarnio morreu ali, com as mãos paradas nos seios de Mikaela, minha flecha acertou – lhe a garganta, o que serviu de distração para que ela jogasse a cabeça pra trás e quebrasse um nariz. A espada dela jogada na terra cortou o ar e decapitou seu algoz.

– Ajude – me! – disse ela praticamente nua pegando a corda encostada em uma arvore que serviria para amarra – lá para prender os dois que ainda estavam desacordados.

Com o rosto inchado ela correu pra mim, o corpo quente, o cheiro de suor e sangue que vinham dela… Deus como era frágil e como era forte, como eu poderia?

Amarrei os dois homens no cavalo e peguei – a no colo, o caminho até o castelo foi longo, mas as luzes de entrada estavam acesas e soldados caminhavam impovorosos a procura dela.

Fui hostilizado a principio e me bateram como se eu fosse o algoz da minha senhora, mas ela os impediu, ajoelhou – se ao meu lado e tomou meu rosto em suas mãos.

– Lucyus? – ela reconheceu

– Minha senhora. – respondi eu abaixando a cabeça.

Edgar correu em nossa direção e conteve o tumulto, coloquei – o a par da situação e Lord Welton, olhando a face de Mikaela empalideceu.

– Como posso devolvê – la a seu pai dessa forma?

– Se fosse de fato uma dama, estaria segura dentro das paredes do castelo. – disse Amelie em tom amargo, olhando para Mikaela como se fosse uma prostituta. Esta por sua vez, levantou – se e caminhou em direção a rainha com altivez e respondeu a altura.

– Por quem me tomas, senhora? Sou filha do grande Falcon e da bela e poderosa Lady Margrethy, senhora do Oeste e das Almas. Derrubei em batalha dois de seus melhores homens e decapitei outro. Tens nojo e se ofende por uma dama se defender? Me envergonhas tu, e tua falsa modéstia. Lucys, arrume meu cavalo, parto agora contigo.

Edgar olhou para mãe irado e tentou conter Mikaela, ela desvencilhou – se e colocou sua capa.

– Lord Welton, meu rei. Agradeço tua gentileza e tua hospitalidade, mas meu guarda levar – me – a á meu reino.

Partimos no mesmo instante, o Sol nem raiou e na Torre de Pedra dois corpos jaziam dependurados. Enforcados por terem tocado a princesa.

Uma rainha em fúria torcia nervosamente as mãos, um príncipe adoecia e um rei, acabara de encontrar sua sucessora no trono de Nivanír.

Mikaela não destruirá seu futuro casamento, muito pelo contrario, acabará de sela – lo…

CONTINUA…

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s