Donna – Heaven and Hell (Pt. 6)

donnacap6

14

Donna

Capítulo 6 – Heaven and Hell

Escrito por: Lua Morgana

*

O motorista chegou exatamente na hora marcada e eu já estava na portaria do prédio esperando-o. Coloquei um vestido preto básico e um salto, nada mais chique que uma mulher que saiba usar bem um vestido preto. O motorista veio até a mim e entendeu que minha resposta era sim, que iria ao jantar, e então disse que o chefe dele, Heitor, estava me esperando.

Dirigiu-se até o carro e abriu a porta traseira para mim. Entrei e sentei-me, fiquei mexendo no celular enquanto íamos até o restaurante, na avenida principal, um restaurante francês bem caro e renomado, cinco estrelas. Uma das coisas que aprendi com essa vida que estava tendo era comer e beber bem. Comida boa e cara vale a pena.

O motorista parou o carro em frente ao restaurante e fez sinal para que o manobrista não pegasse o carro, pois ele iria embora assim que me deixasse lá. Ele desceu e abriu a porta para mim, saí e me dirigi apressadamente para o hall do restaurante, pois começava a garoar. Falei com o anfitrião que estava com hora marcada para um jantar com Heitor, ele foi gentil e educado, me disse que Heitor já havia chegado e estava me esperando no salão do restaurante, em uma mesa reservada. O anfitrião me conduziu até a mesa e puxou a cadeira para que eu pudesse sentar… Agradeci e sorri para ele, que se retirou rapidamente, sem fazer um barulho.

Heitor sorriu para mim e soube que a minha resposta era sim. Logo em seguida, chamou o garçom para que trouxesse um champanhe.

Traga o mais caro da casa, temos algo para comemorar hoje…

Sim, senhor, um momento.

O garçom voltou com um Krug Clos d’ Ambonnay e abriu, fazendo um breve estouro, digno de um champanhe. O cheiro especifico tomou conta das minhas narinas assim que o garçom me serviu na taça, a minha frente. Ele colocou a garrafa mergulhada em um balde de gelo, em cima de nossa mesa – que era enorme, digna de um restaurante com estrelas Michellin – e se retirou rapidamente, sem fazer ruídos, assim como o anfitrião.

Peguei minha taça, assim como Heitor, e brindamos.

Um brinde à nossa mais nova união e parceria. Que perdure por longos anos! Tim tim! Saúde!

Saúde! – Eu disse com um sorriso largo e logo bebi um gole do champanhe e senti ele descendo em minha garganta, com aquele gostinho de sucesso.

Bebemos a garrafa inteira ao longo do jantar, pedimos o especial do chefe e nos esbaldamos comendo da melhor comida francesa da região, afinal, era uma nova etapa de nossas vidas que estava acabando de começar, precisávamos começar com o pé direito e boa comida.

O jantar havia chegado ao fim, Heitor ligou para o motorista vir nos buscar e nos levar até sua casa. Eu estava nervosa naquela altura, estava me sentindo alta por causa da bebida, porém, não estava preparada para dormir com o pai do meu ex. Eu tinha pudores ainda, por mais que não parecesse.

Heitor pagou a conta e fez um sinal para mim de que era hora de ir embora. Levantei-me assim que o anfitrião puxou minha cadeira e Heitor colocou a mão nas minhas costas, me conduzindo para fora do restaurante até o carro. O motorista já nos esperava e abriu a porta para que entrássemos.

Foi uma viagem silenciosa, quase não falamos nada, cada um ficou com seus pensamentos olhando a paisagem que nos cercava enquanto nos dirigíamos para a casa de Heitor.

Chegamos a um condomínio luxuoso de casas e adentramos em um portão enorme, digno de filmes hollywoodianos. Mesmo com todas minhas andanças pelo mundo, nunca havia entrado em um lugar tão lindo e luxuoso na minha vida. Digno de reis e rainhas, estrelas de cinema e estrelas do rock. Era como se o portão do paraíso estivesse sendo aberto diante dos meus olhos.

Paramos na garagem de uma das casas luxuosas do condomínio. As paredes da frente eram de vidro, modernas, com uma porta enorme. Era cercada por arbustos, flores e palmeiras altas.

Um caminho de pedras levavam até aquela porta gigantesca. Saímos do carro e nos dirigimos até lá. Ao abrir a porta, o hall de entrada era maravilhoso, um espaço amplo, com piso de madeira e um lustre enorme e brilhante. Belas cadeiras e um tapete de pele ficavam perto de uma lareira grande e de mármore. Meus olhos passavam por cada detalhe daquele hall… Acho que eles estavam brilhando tanto que Heitor sorriu para mim, como se tivesse me dado uma caixa de presente e que eu acabava de abri-la.

UAU! – Foi o que eu consegui dizer.

Bem-vinda a sua nova vida, Donna. – Heitor sorriu. – Não se sinta obrigada para fazer nada que não queira, não estou aqui para te fazer sofrer. Estou aqui para te dar tudo o que você sempre mereceu e conquistou, pouco a pouco. Não sou homem de cobrar nada de ninguém, sou homem de conquistas e vitórias. Não quero comprar seu amor, seu corpo. Quero conquistá-lo. – Ele deu um olhar malicioso para mim, porém, vi respeito em suas palavras, algo que eu não estava muito acostumada.

Senti-me aliviada, não estava preparada para ter relações íntimas com Heitor. Não porque não sentia atração, mas porque o via como pai do meu ex namorado. Queria vê-lo como homem. E tê-lo como homem. O momento ainda não era esse.

Heitor sabia que eu me sentia assim e não me perguntou nada, não me falou nada sobre o assunto. Conversamos aquela noite inteira para nos conhecermos melhor e era como se eu estivesse falando com meu melhor amigo. Ele ria comigo, não me julgava. Me compreendia. Em apenas umas breves horas de conversa sem filtro, sem medos, ele me ouviu de uma forma que ninguém jamais ouvira.

Aquele definitivamente era o homem da minha vida. Sorri para ele e ele me sorriu de volta, nos abraçamos e cada um foi para o seu dormitório.

Não queríamos sexo, não queríamos coisas fúteis. Nós dois buscávamos algo em comum: amor e fidelidade.

Em meio a todo aquele redemoinho de emoções, de pessoas, de dinheiro, de drogas: acho que me encontrei.

Definitivamente me senti saindo de um inferno e indo para o céu.

 

“The lover of life’s not a sinner

The ending is just a beginner

The closer you get to the meaning

The sooner you’ll know that you’re dreaming

So it’s on and on and on, oh it’s on and on and on

It goes on and on and on, Heaven and Hell”

(Heaven and Hell – Black Sabbath)

CONTINUA

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s