Os Humánimol (Pt. 2) – Reunião

19702416_320158548428251_8268677792476212711_n

Escrito Por: Alfredo Dobia

Capítulo 2 – Reuniã

A sala estava cheia, os Humánimol de toda a cidade tentavam descobrir o que de tão importante estava acontecendo para uma reunião em plena quarta-feira. As bocas se abriam em comentários enfadonhos e olhares curiosos eram trocados em todos os cantos. Fora Philip, ninguém fazia a mínima idéia do que o Rei estava prestes a fazer e isso o deixava preocupado, tenso e nervoso.
Alguns minutos depois a porta do Grande Marcos se abriu e rapidamente todos lançaram suas atenções pra ele. O silêncio dominou a sala em respeito ao rei. Marcos não era como o lobo alfa de uma alcateia, era muito mais do que isso. Estava acima de um alfa ele era o rei de toda espécie animal existente na terra. Marcos olhou ao seu redor como se procurasse alguém em meio a vasta gente encarando-o.

– Olha que lindo! – Baltazar disse enquanto atravessava a porta junto com a Eva e o Dylan. – Parece que vamos mesmo ter uma reunião familiar.

– Ainda não entendi porque Philip saiu correndo até a escola pra nos trazer aqui. Ele sabe que eu odeio vir aqui nos dias normais de aula.

– Entenderias se desintupeces essa sua mente suja e insana e prestasse mais atenção as pessoas.

– O que você disse? – Eva encarou Dylan com uma expressão assassina luzindo dos olhos. – Quero ouvir você repetir.

– Parem com isso vocês os dois – aconselhou Philip -. Sabem perfeitamente que essa não é a hora nem o lugar pra esse tipo de comportamento.

– Todos aqui sabem que a Eva da cabo dele com os olhos fechados, inclusive ele mesmo, e não podias só fingir que não viste nada e ignorar essa? Tinhas mesmo de estragar a diversão – Baltazar murmurou decepcionado. –

Philip se aproximou do Baltazar

– E que tal você calar a boca?
Duas jovens muito parecidas, poderia-se dizer que são irmãs e gêmeas, abriram seus lábios exibindo um sorriso de irritação ao Baltazar. Ele tentou partir pra cima das gêmeas mas uma voz poderosa o impediu com um pigarro. Seus ouvidos muito bem apurados seguiram o som do pigarro e seus olhos alcançaram os do Marcos. Baltazar baixou a cabeça como um animalzinho indefeso.

– Boa tarde Irmãos. Chamei vocês aqui hoje para vos dar uma informação que penso ser de nível Z.

Marcos apenas ignorou Baltazar. Apesar de ouvir todos os seus comentários desagradáveis. Ele sabia que aquele não era o momento para se preocupar com um jovem arrogante, céptico, e sem nenhum interesse com a sua humanidade.

– Recebi uma mensagem do conselho dos Bruxos Modernos a dizer que o feitiço foi quebrado.

– Não pode ser! – Dylan disse abanando a cabeça em negação. – Me desculpe Grande Marcos – Mas não sei se os meus ouvidos ouviram bem. O Sr. Está dizendo que o feitiço que nos protege dos únicos humanos comuns que sabem da nossa existência foi quebrado!?

– Exactamente isso que você acabou de dizer.

O pessoal começou a ficar cada vez mais agitado. Uma enormidade de burburinhos se formava em maio a sala.

– O conselho dos bruxo pediu a nossa máxima alerta e descrição sobre nossas identidades enquanto eles tentavam descobrir como quebraram o feitiço.

– Está chegando, a guerra está próxima. Eles virão atrás de nós eu posso sentir a vontade imensurável de cada um deles de irradicar-nos um por um.

Dylan disse, assustado e com medo.

– Não precisamos ter medo. Afinal de contas são apenas humanos comuns usando armas – um jovem de aproximadamente 19 anos comentou em voz alta.

– Você não tem noção do que dizes. – comentou um Sr. alto e forte, de mais ou menos uns 40 e poucos anos. Seu cabelo era rasta e sua pele era coberta de pelos, quase como um urso – Esses humanos comuns quase mataram toda a nossa espécie, eles são caçadores de Humánimol altamente treinado. Morrer pra eles não importa se isso significar que você vai junto.

– É bem verdade o que o irmão acaba de dizer. – Marcos disse se dirigindo ao Sr. Ele tratava sempre todo Humánimol por irmão. – Eles são forte o bastante para acabar a gente. Mas a malta não precisa lutar. Isso só trará sangue e morte por toda a cidade.

– E daí que eles são bem treinados? Ainda são humanos comuns. A gente é dez vezes mais rápido, dez vezes, mais ágil, dez vezes mais forte. Chega a ser vergonhoso nos curvarmos a seres tão fracos.

– Não sei quem é esse rapaz mas eu gostei dele. – sussurrou Eva pro Baltazar.

– Eu também.

– Pois é. Mas começar uma guerra agora a gente tem muito mais a perder do que eles. Eles são a maioria e a essa altura provavelmente muito mais estão sendo treinados para isso. O que nós temos de fazer por enquanto é sermos o mais discreto possível. Por isso, eu aproveito o momento para vos apresentar aquele que irá liderar e vigiar cada um de vocês no mundo a fora. Por tanto espero que o respeitem e o tratam como deve ser.

Os olhos do Grande Marcos foram de encontro a Philip e logo de seguida ele caminhou em direcção ao rei.

Baltazar bufou.
– Era só o que nos faltava. A nossa espécie sendo ameaçada e o rei decidindo colocar uma baba na nossa trás.

O rapaz de 19 não pode deixar de ouvir o comentário do Baltazar e caminhou de encontro a ele.

– Você não gosta muito dele pois não? – indagou o Rapaz olhando pro Philip.

– Eu não gosto muito de muita gente dessa sala. E você.

O rapaz simplesmente riu e logo depois disse:

– Você acaba de fazer um amigo.

Baltazar devolveu o sorriso.

– Algo me diz que isso vai ser interessante – Falou Eva lançando olhares pro rapaz.

– Sem mais nada a falar. O brigado pela vossa atenção e se cuidem. – Terminou Marcos e o pessoal começou a se retirar da sala em paços curtos.

 

CONTINUA…

 

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s