Maldição em Meu Nome

2017-05-31_06.23.25.jpg

Escrito por Ragnus Luke

Queimando dentro de minha alma os espíritos se voltam contra meu corpo

Tento segurar a minha vida, mas os meus demônios estão me prendendo com as correntes do destino

Eu tento ficar vivo, mas o sentimento de morrer ainda soa como um novo abrigo

Minha alma está fora de controle, milhões de vozes deturpam minha coragem

Rezando para a noite acabar e o novo dia começa

Para me dar abrigo nessa tempestade mental que o meu mundo se tornou

Nas sombras do meu passado, sou apenas mais um guerreiro com uma estaca no peito

Eu estou sozinho, eu sou o filho da bruxa sangrenta, eu estou na corrida pela morte corrompida

O céu está chamando, agora chegou a minha hora

Santificado pelo santo graal a espada do rei há de chegar

Os dragões chorando, o sol está se lamentando, pois a nossa hora acabou

Desmoronando por dentro de mim o monstro da Babilônia canta seu último suspiro

Rasgando minha alma para o núcleo da minha sanidade

Ele está quebrando meu coração uma última vez

Me chamando dizendo que eu estou morrendo de novo, mas dessa vez nada pode me trazer dos mortos

Rezando pelas memórias que um dia sonhei em ter, pelas guerras que eu lutei

Para me dar abrigo na tempestade que eu criei, das batalhas que eu ganhei

Nas sombras do meu passado, a grande tormenta canta com o meu suspiro

Eu estou sozinho?

Eu sou o escolhido, o herdeiro da bruxa, o filho do sangue a encarnação dos pecados e do caos

E eu estou na corrida pela piedade, mas será que estou pronto para correr pela humanidade

Os deuses estão me chamando agora chegou a minha hora de encara-los

Santificada pelo santo graal a alma de minha mãe agora busca a redenção pelo sangue

Os dragões choram, os reis comemoram e eu apenas espero a minha hora

A minha maldição  pode ser anulada de uma vez, basta arrancar o meu destino das mãos do tempo

Despoja-lo, tomar sua coroa de liberdade e lealdade dos lordes perdidos em guerra

Eles  choram por seu rei, e lamentam por seu filho sem nenhum rancor

Colocá-lo à morte, é o que eu digo, caça a noite é a nossa hora

Embora nunca me esqueça, o meu destino, a valsa da bruxa irei dançar

Dotar-lhe de razão e de graça é o que o tempo tem a nós mostrar

Eles são rabiscos, que devem ser destruido com o tempo

Palavras dissimulam os fatos, a vontade de Deus está diante do santo graal

A vontade de Deus…

Eles vão alegar falsamente, mas a verdadeira origem está na guerra pelo trono do verdadeiro rei

Deixe que eles amaldiçoem meu nome, nestas páginas de história manchadas de mentiras profanas existe uma linhagem sagrada banhada com sangue da donzela santificada

Deixe que ele amaldiçoe meu nome, mas lembre-se da verdade, ela é a única e verdadeira

Os dragões choram, os reis comemoram e eu apenas espero a minha hora

Então lá vem eles com tochas para destruir o filho da bruxa e do dragão, o rei que um dia acreditou na humanidade e não na insanidade

De todos os lugares, aqui ainda é o meu lar, e mesmo que morra ainda estarei vagando nas masmorras de Vallherein

A vingança testemunha o medo nos olhos dos que um dia defendi

Vozes cantam por toda a parte

“Você está cheio de sangue

Está derramado por toda parte”

Oh, você estará ciente agora, que o seu julgamento está próximo e o seu fim é apenas um simples destino

Retire sua coroa ou morra como o rei que sempre foi

E o derrubem, deixe verem que a maldição do seu nome é apenas uma brincadeira de um regicida que chora ao ver seu rei queimando nas chamas da realidade

Agora não lamentaremos mais, as nossas orações foram ouvidas e os dragões se levantam para a verdade é o nosso destino, a tormenta dos dragões

Nós somos um somos a nação, somos a lei da justiça e da verdade, somos filhos da magia, guardiões da esperança e do mundo

Somos drakonians a espada da justiça clama nossa chegada

Falsamente louvam o novo rei, ele acabou com o tratado de paz, a chama da guerra se ascende mais uma vez

Malditos sejam todos os que nos mataram, ele não é mais rei, a nossa guerra começou

Eles trouxeram sangue e odio diretamente para nossas mãos, rugiremos como o trovão e caçaremos os falsos reis

O nosso rei não retornará, mas seu espírito estará em nossas almas

Que a tormenta dos dragões para os regicidas comece….

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s