Senses – Pt.3 +18

diario-de-uma-paixao-0317-1400x800

Por Mille Meiffield

Eu não sabia qual era o problema do Jake, mas o jeito que ele me olhava, me incomodava bastante. Aquele beijo foi um erro, conviver com ele na casa dos meus amigos estava sendo um erro enorme. Toda vez que eu o via, era como se uma corrente elétrica percorresse cada terminação nervosa do meu corpo. Os pelinhos de minha nuca  eriçavam, meu coração acelerava e isso me fazia mal. Aquele beijo me dominou completamente. Hallie me chamou para comer algo quando viu que eu ia subir direto para o terraço.

– Está tudo bem Evie? – indagou – Porque não come algo antes de se enfiar de novo naquele terraço?

– Não estou com fome Hallie, obrigada. E onde está o Vince?

– Teve uma reunião hoje cedo. – quando ela viu que eu já estava me revirando para subir as escadas ela me olhou se sentindo derrotada e falou mais para Jake do que para mim. – Não sei o que vocês dois veem nesse maldito terraço.

 

Hoje não havia sol. Nuvens negras cobriam o céu e uma tempestade se aproximava. Trabalhar nas histórias com chuva me animava um pouco, eu já havia escrito mais dois capítulos e a história parecia ser boa. O beijo de Jake me ajudou a escrever uma historia mais adulta, mais sensual. Jamais imaginei escrever um romance erótico, mas o que minhas mãos escreviam, era automático. Cada toque de Kirk em Belle era um tremor que me atingia. Eram personagens carismáticos, cada um com seu charme pessoal.

Antes de continuar escrevendo, decidi relaxar um pouco no sofá, olhando aquela paisagem deslumbrante. A única coisa em que eu conseguia pensar era no gosto do beijo de Jake. Aqueles lábios grossos com gosto de calda de cereja. O aroma almiscarado de sua pele, os longos dedos grossos segurando minha cintura enquanto me beijava.  Minha boca salivava e implorava por mais, mesmo minha mente me dizendo que era um erro. Jake tinha algum segredo sombrio, só podia ter. Como uma pessoa bem sucedida, sem problemas financeiros, exageradamente atraente não teria uma namorada ou esposa? Ele tinha algum segredo e eu não ficaria no meio do fogo. Não correria o risco de me queimar.

 

HALLIE

– Jake, você sabe porque a Evie está tão esquisita, não sabe?

– É, eu sei. – Jake parecia entristecido.

– O que aconteceu Jake?

– Eu a beijei.

– Você o quê? – não acredito que ele a beijou, Evie deve estar furiosa. – ela está passando por uma situação complicada, se eu a conheço bem, ela deve estar pensando em ir embora, ela perdeu a carreira dela porque o editor chefe da revista que ela trabalhava a assediou e ela não aceitou.

– Eu não fazia ideia. – Jake parecia arrependido. – Acho melhor eu começar a fazer minhas malas, está na hora de voltar para casa.

– Você não vai a lugar nenhum Jake. – ordenei. Depois de tudo o que ele passou, a ultima coisa que eu poderia fazer era pedir que ele voltasse para casa.  -Vou conversar com a Evie e ver o tamanho do estrago, mas, por favor, procure ficar longe dela. Eu cheguei até a brincar com Evie falando que vocês dois seriam muito bons juntos, mas parei com isso porque vi o terror nos olhos dela.

– Foi tão ruim assim o que esse cara fez?

– Pior, ele destruiu qualquer chance que ela tinha de trabalhar em qualquer outra editora do país.

– Que cretino. Bom, prometo ficar longe dela, mas se ela estiver muito incomodada me avise e eu irei embora.

 

Subi as escadas para o terraço, a chuva havia começado a cair, mas estava fina e ritmada.  Evie havia adormecido no sofá. Ela parecia uma menininha que tinha fugido de casa e estava se escondendo dos perigos da noite chuvosa – sendo que era dia – em uma caverna estreita e escura – ou seja, no sofá.

Eu não quis acordá-la então resolvi dar uma olhada em como seu trabalho estava indo.  Alguns capítulos escritos, no começo apenas coisas sem sentido. Depois viraram capítulos sinceros de paixão arrebatadora.  Em uma das cenas não era Kirk quem beijava Belle – seus personagens – era Jake quem beijava Evie. Ela estava gostando de Jake? Com apenas um beijo? Eles se conheciam apenas há alguns dias.

– Hallie, o que esta fazendo com meu notebook? – Evie havia acordado e pelo seu tom de voz, não gostou de me ver mexendo em suas coisas.

– Eu queria dar uma olhada no que você estava escrevendo, ver como estava indo.

– E o que achou?

– É pra ser sincera mesmo Evie? – perguntei olhando em seus olhos

– Nunca esperei menos de você. – ela parecia um pouco distante. Não era nem sombra da Evie corajosa e destemida que eu conhecia.

– O que houve entre Jake e você?

– Não foi nada, estávamos conversando e acabamos nos beijando, só isso.

– Tem certeza? – Ela parecia chateada. – Você escreveu o nome de vocês na sua historia ao invés do nome do personagem

– Está tudo bem Hallie, não se preocupe.

 

Evelinne

 

Havia uma semana que a chuva não dava trégua. Precisava caminhar um pouco, então decidi pegar minhas botas de chuva, um guarda chuva e dar uma volta pelas ruas da cidade.

Sempre que visitava Hallie e Vincent, gostava de perambular pelas ruas da cidade, entrando de boutique em boutique atrás de roupas diferentes, algo que pudesse fazer parte de meu guarda roupas excêntrico.

Entrei na Six Death, uma loja de roupas loucas que ficava há dois quarteirões de onde eu estava morando. Encontrei uma camiseta preta de retalho e um short jeans rasgado que ficariam excelentes juntos. Ninguém entendia como uma editora de revista de moda poderia se vestir de tal maneira. Mas meu trabalho e minha vida pessoal nunca se misturaram. Não até Jake aparecer nela.

Depois de andar por algumas horas parei na Black Coffee, pedi um croissant e um café preto extra forte. Dizem que e o tipo de café favorito dos autores. Quando estava terminando meu croissant vi Jake do outro lado da rua. Ele parecia meio perdido. Estava parado na calçada olhando o nada. Paguei a conta e fui atrás dele.

– Jake – gritei. – Jake, o que esta fazendo aqui nessa chuva?

– Estava esperando você.

– O quê?

– Estava esperando você. – ele repetiu sem rodeios – Eu precisava fazer uma pergunta e não podia esperar.

– Tudo isso por causa de uma pergunta?

– Evie, aquele beijo…sinto muito, não vai mais acontecer.

– Você está parado aí todo molhado porque não quer  mais me beijar?

– Não, eu estou parado aqui todo molhado dizendo que não vou te beijar mais. – ele disse me corrigindo. – Querer é algo bem diferente.

– Tá, tudo bem, mas não podia ter esperado eu chegar em casa?

Ele segurou minhas mãos e as beijou

– Queria ter certeza de que não havia ficado chateada.

-Garanto que não foi chateada que eu fiquei, pensativa talvez.

– Hallie quase me cortou em pedaços quando eu disse que te beijei.

– Ela vive preocupada comigo, nada demais. – eu disse o tranquilizando. – Ela acha que fiquei frágil depois do que houve comigo, mas não é verdade.

– Eu te assustaria muito se dissesse que sonho em poder repetir aquele beijo?

– Não, não me assusta.

– Então me deixe torná-lo realidade.

 

Jake me beijou como uma intensidade pavorosa. Ele saboreou com sua língua cada canto da minha boca, e eu retribuí. Gemi em seus lábios quando ele mordiscou meu lábio inferior. A intensidade do beijo foi aumentando ate ficar quente demais para respirar. Ele se afastou e olhou dentro dos meus olhos tentando procurar algum sinal de que eu não havia gostado.

– Me perdoe, eu não tinha a intenção de ser tão bruto, mas não consigo me segurar perto de você.

– Jake…

– Desde o momento em que nossos olhares se cruzaram eu não consigo tirar da cabeça seu olhar espantado ao me ver daquele jeito.

– Jake, por favor…

– Eu não poderia me apaixonar assim tão rápido, tão fácil, quando tudo é ainda tão recente.

– O que é recente?

– Me perdoa, preciso ir.

 

E como se nada tivesse acontecido, ele simplesmente foi embora e eu fiquei plantada ali na calçada, com a chuva molhando cada centímetro do meu corpo olhando Jake Stall virar a rua e desaparecer.

 

Cheguei ao apartamento de Hallie, ensopada. Ela pulou do sofá e veio em minha direção.

– O que houve?

– Meu guarda chuva quebrou e como eu já estava aqui perto resolvi caminhar um pouco.

– Na chuva?

– Uma chuvinha às vezes não faz mal.

Hallie me pediu para esperar ela pegar uma toalha para eu me secar. Quando voltou, veio balançando a cabeça em negativa.

– Porque demorou? – perguntei

– Evie, o que realmente aconteceu?

– Jake me beijou como se sua vida dependesse daquilo e depois como se nada tivesse acontecido foi embora.

– Ele mandou uma mensagem perguntando se você tinha chegado em casa e dizendo que passaria a noite fora.

– Quem ele realmente é, Hallie?

 

Ela pegou minha mão e foi comigo ate o sofá do terraço, onde eu me sentia mais confortável. Sentamos uma de frente para a outra e vi seus olhos marejados. Aquilo me deu um forte aperto no coração.

– Vincent e Jake se conhecem desde a nossa saída da faculdade. – Hallie começou a explicar – Jake era casado e tinha um casal de filhos na época. Ele e Vince se tornaram amigos inseparáveis.

– Ele é casado?

– Vou chegar lá. – observei uma lágrima escorrer pelo rosto de Hallie. -Lizzie era linda. Ela e Jake eram muito felizes. Eles e as crianças sempre vinham nos visitar. E nos sempre passávamos semanas na casa deles. Eram como uma extensão da família. Como você. Isso aconteceu na época em que você estava no auge da carreira, trabalhando quase 24 horas por dia.

– Na época em que eu mal mandava um oi todos os dias. Eu me dei tanto para aquele lugar e saí de lá como uma burra idiota.

– Você é a melhor no que faz Evie, vai conseguir superar isso. – Hallie segurou firme minha mão. – Continuando, um final de semana a pouco mais de dois anos, Lizzie e Jake combinaram de acampar com as crianças. Ele recebeu uma ligação de um dos funcionários da empresa dele dizendo que era imprescindível a presença dele no escritório, então ele e Lizzie combinaram de se encontrar na cabana que haviam alugado. No meio do caminho um caminhoneiro bêbado bateu no carro dela. Ela e as crianças morreram na hora.

– Ah meu Deus, Hallie. – eu estava chocada com aquilo. – Meu sexto sentido dizia que ele tinha algum segredo, mas jamais imaginei algo assim.

– Ela era muito bonita. – o olhar de minha amiga mostrava o quanto ela gostava de falecida esposa de Jake e o quanto sentia sua falta. – Não havia nada que Ele não fizesse pela Lizzie, ela era o mundo dele. Quando você me disse que ele te beijou, eu morri de medo de ambos se magoarem. Porque vocês são a única família que Vince e eu temos.

– Eu vou me afastar dele. – senti uma pontada forte no peito quando disse essas palavras. – Prometo a você.

continua***

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s