A fé da gente – Lição 5

02_biombo-hospitalar-de-teto-r$22-000_grande

 

A fé da gente

Lição 5

Escrito por: Zuleika Juliene

  Catarina acordou sentindo um aperto no coração, achou aquele sentimento estranho. Sentia falta dos meninos e um peso pairava em seu peito como a falta de responsabilidade por ter passado uma semana inteira sem que ela, uma mãe, tivesse buscado ao menos notícias deles. Tudo isso misturado a uma pitada de insegurança em relação ao futuro deixou Catarina atordoada naquela manhã, ela tentou seguir sua rotina, tentou desviar os pensamentos, mas aquele peso incomodo teimava em acompanhá-la.

  Já passava do meio-dia e Catarina não estava com um pingo de fome, sabia que precisava estar forte, pois ainda teria que enfrentar muitos obstáculos, mas a ideia de engolir algo lhe era repulsiva, de repente escutou o telefone tocar, certamente após uma semana o patrão queria saber como estava a casa, mas se enganou, a voz que veio do outro lado da linha lhe era familiar, mas não era a de Nicolas.

  – Boa tarde Catarina, como você está?

  – Dona Divina? Estou bem e a senhora?

  -Sim Catarina, estou bem. Quero saber se posso te fazer uma visita.

  Catarina rapidamente olhou a sua volta em busca de um calendário e constatou que era segunda-feira, dia da última palestra, ficou muda ao telefone por alguns segundos pensando no quanto àquelas palestras a haviam ajudado, mas contrapondo a questão de que após frequentá-las sua vida tinha mudado drasticamente a separando de seus filhos, quase perdendo o emprego, perdendo sua casa… Sentiu-se tentada em dar uma resposta negativa.

  – Catarina, você ainda está aí?

  – Então Dona Divina, esta semana estou um pouco atarefada, ainda não consegui arrumar todas as coisas da mudança, acho melhor conversarmos em outro momento.

  – Escuta Catarina, precisamos conversar, seu tempo está acabando. Logo você entenderá tudo que te aconteceu, logo você estará recomposta, mas para tanto precisa estar preparada. Todos nós temos medo de vez em quando, é normal, mas temos que enfrentá-los, você já está na reta final, não desista agora!

  – Desculpa Dona Divina, mas realmente hoje não dá!

  – Serei breve Catarina, sei o que está sentindo agora e talvez eu seja sua melhor opção para amenizar o peso que está em seu peito.

  Catarina sentiu um arrepio percorrer por todo o seu corpo, como aquela mulher sabia de todas as coisas? Parecia estar dentro da sua mente, aquilo não era possível…

  – Como pode saber o que estou sentindo?

  – Tenho uma missão e quando ela acabar estarei livre Catarina, tão livre quanto você, vamos acabar logo com isso?

  Catarina não estava entendendo nada, estava ficando cada vez mais confusa, sentia aquele peso aumentar a cada palavra que escutava, então decidiu acabar logo com aquilo.

  – Está bem, pode vir. O endereço de onde estou…

  Escutou a campainha tocar e pediu um momento à Dona Divina para atender a porta. Quando a abriu sentiu-se cambalear ao ver do outro lado Dona Divina.

  – O que está acontecendo?

  – Estava no celular!

  – Sim, mas não te dei o endereço…

  – Mas Catarina, está na sua ficha…

 – QUE RAIO DE FICHA É ESTA? NÃO PREENCHI FICHA NENHUMA!!!

  – Calma, ficar nervosa não irá adiantar em nada, tente se acalmar para podermos conversar. Eu posso entrar?

  – Entre… Vou fazer um café.

  Após alguns minutos Catarina voltou da cozinha com uma bandeja de café e alguns biscoitos, apoiou-a sobre a mesinha e sentou-se de frente para Dona Divina.

  – Sabe, hoje acordei me sentindo mal por ter deixado meus filhos com o Alfredo, por não saber se estou conduzindo minha vida no caminho certo, por duvidar das minhas capacidades…

  – Podemos perceber que a busca é grande, mas a compreensão e aceitação desta é difícil de acontecer. As pessoas querem melhorar suas vidas, mas não querem aceitar que estão erradas. Veja você o quanto melhorou e modificou sua vida.

  – Não estou certa de que minha vida tenha melhorado.

  – Eu digo que melhorou e que ainda vai melhorar mais. Você é uma pessoa muito especial Catarina, tão especial que ganhou um grande presente da vida.

  – Não entendo, do que está falando?

 – Estamos aqui nesta terra para evoluirmos, você tem bons créditos com a vida, fez coisas boas e por esta razão a vida lhe concedeu uma nova oportunidade de recomeço, agora peço que seja forte e que me escute com muita atenção, vou te relatar uma história, peço que não me interrompa até que eu termine, certo? Sei que surgirão muitas dúvidas, que se sentirá caindo em um buraco sem fim, mas ao final toda sua angustia terminará. Acha que está preparada?

  – Sim, creio que sim.

 – Então vamos lá… Uma menina de aproximadamente dezessete anos que mora com sua amada mãe e trabalha como empregada doméstica na casa de Dona Emilia tem a sorte de ter como sua melhor amiga a filha da patroa, Esther. Porém esta mesma menina tem o azar de estar se apaixonando por um rapaz que não lhe trará nenhum futuro, pelo contrário, tornará sua vida difícil e pesarosa, este rapaz chama-se Alfredo. Mesmo sua amada mãe a advertindo de que este não é um bom relacionamento a menina como boa adolescente a desobedece e creio que futuramente engravidará iniciando neste instante sua cadeia de infortúnios.

  Mas as esferas superiores têm um plano para esta menina e não podem deixar que isto aconteça, pois ela deve conhecer outra pessoa na casa de sua amiga e esta pessoa a fará feliz nesta vida e a ajudará a evoluir, então a vida lhe dá um “breque” para lhe mostrar como seguir um caminho errado pode nos custar infinitas amarguras.

  Este “breque” não é concedido a todas as pessoas, apenas aquelas que têm merecimento e esta menina têm de sobra.

  – Desculpe a interrupção, mas não estou entendendo nada, o que seria este “breque”? Que planos são estes?

  – Catarina, você não pode seguir este caminho que acabei de te descrever, não é o que está programado para você, se continuar neste caminho tudo isso que aconteceu com você, ou seja, um marido acomodado, que te trai, que mal cuida das crianças, filhos que você não está preparada para cuidar, um emprego que você não gosta, todas estas coisas se tornarão realidade. Havia lições que você precisava aprender e que já foram aprendidas, agora é com você!

  – Não consigo entender, estou passando por tudo isso e…

  – Não, não está! Neste momento você está no quadro que eu te relatei, com dezessete anos, trabalhando na casa de dona Emilia. Ao limpar uma janela você caiu resultando em um como, este foi seu “breque”, já está neste estado há um mês, mas agora é hora de acordar e dar continuidade a sua vida, mas precisa escolher o caminho certo desta vez ou sua vida se tornará um fracasso.

  Neste momento Catarina soube o verdadeiro significado de “Se sentirá caindo em um buraco sem fim”, sentiu sua garganta travar e apenas um fio de ar passar pelos seus pulmões, sua vista foi escurecendo e de repente um clarão quase a cegou.

  Catarina olhou ao seu redor avistando vários aparelhos, a luz do ambiente era muito forte, sentia-se fraca para levantar da cama, mas percebeu que estava em um hospital, forçou-se a virar um pouco o corpo e viu sua mãe dormindo sentada em uma poltrona, não conteve as lágrimas de emoção. Respirou fundo, pois sabia que haveria muitas pontas para juntar.

Continua

 

 

 

 

 

 

3 comentários em “A fé da gente – Lição 5

  1. CA-RA-LHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOWWWWWWW
    Eu pensei que era, sei lá, anjos dando dicas, espíritos, alguma coisa assim! Pessoas ajudando a Catarina a mudar de vida!! Pqp!

    Curtir

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s